Dificuldades dos Enfermeiros na Implantação do Protocolo de Acolhimento no Serviço de Urgência e Emergência

Iácara Santos Barbosa Olivera, Luciana Aparecida Duarte, Nariman de Felicio Bortucan Lenza, Vilma Elenice Contatto Rossi, Beatriz Dutra Brazão Lelis

Resumo


Introdução: A saúde brasileira encontra-se em um cenário que necessita de mudanças efetivas, onde a população procura atendimento e tratamento de suas doenças nos serviços de saúde que fornecem um atendimento mais acessível, rápido e resolutivo. As unidades de urgência e emergência constituem um dos serviços importante e essencial, pois presta atendimento eficaz e adequado de acordo com a necessidade de cada usuário. O acolhimento com classificação de risco nos serviços de urgência e emergência, é uma ferramenta que almeja organizar e diminuir o fluxo de usuários nestas unidades, utilizando uma metodologia cientifica que prioriza os usuários que realmente precisam de um atendimento prioritário. Objetivo: Identificar as dificuldades dos enfermeiros que atuam no Pronto Atendimento Municipal do município de São Sebastião do Paraíso, MG, em relação à implantação do acolhimento com classificação de risco. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa de campo de abordagem qualitativa, do tipo estudo de caso. Fizeram parte da pesquisa cinco enfermeiros que atuam no Pronto Atendimento. Resultados: Em relação à caracterização dos sujeitos, foi predominante o sexo feminino, com média de idade de 34 anos, duas enfermeiras especialistas em urgência e emergência e o tempo médio de trabalho de 3 anos e 6 meses em serviço de urgência. Os enfermeiros relatam dificuldades na implantação do acolhimento com classificação de risco, principalmente na oferta de um atendimento humanizado aos pacientes graves, atribuem como fator o grande número de consultas diariamente e a infraestrutura inadequada da unidade. Conclusão: A utilização do protocolo de classificação de risco no estado de Minas Gerais depende da assinatura de um termo de adesão pelo gestor municipal, porém preocupam-se as dificuldades relatadas acima, sendo necessário firmar estratégias de melhoria da estrutura vigente, normas e rotinas do serviço e também buscar parceria com a atenção primária a saúde através do programa de saúde da família, visando diminuir os atendimentos de casos não prioritários.         


Palavras-chave


Enfermagem; Acolhimento; Serviço de Urgência e Emergência

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2359-1269v5n12018125

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Iácara Santos Barbosa Olivera, Luciana Aparecida Duarte, Nariman de Felicio Bortucan Lenza, Vilma Elenice Contatto Rossi, Beatriz Dutra Brazão Lelis

INDEXADORES:

 


Eixos Tech, Passos, MG, Brasil. e-ISSN: 2359-1269

Classificação Qualis: B4

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado por Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.