PERFIL DE PACIENTES DIAGNOSTICADOS COM SINDROME CORONARIANA AGUDA EM UM HOSPITAL NO INTERIOR DE MINAS GERAIS

Heloísa Turcatto Gimenes Faria, Paula Caroline Alves Evangelista, Karen Cristina Silva Barbosa, Marcela Baquião dos Santos

Resumo


Atualmente, a Síndrome Coronariana Aguda (SCA) representa um importante problema de saúde pública, tanto no Brasil, como no mundo. Como causa temos o aumento da morbidade e mortalidade dos indivíduos acometidos e aumento na procura por atendimentos e internações nos setores de urgência e emergência. Nesse contexto é importante salientar que a maneira mais eficaz de reduzir o impacto das doenças cardiovasculares, em nível populacional, é o desenvolvimento de ações preventivas e o tratamento dos fatores de risco. Assim a enfermagem se torna parte importante neste processo, atuando de forma a conhecer os elementos envolvidos no desencadeamento da SCA para que possam agir de forma mais resolutiva na prevenção e promoção da saúde desses indivíduos e no desenvolvimento de programas capazes de reduzir a morbidade e mortalidade por doenças cardiovasculares. O presente estudo teve como objetivo conhecer o perfil dos pacientes internados por síndrome coronariana aguda em um hospital privado, no interior de Minas Gerais, no ano de 2018, segundo as variáveis sociodemográficas e fatores de risco. Trata-se de um estudo descritivo e transversal, que foi realizado em um hospital no interior de Minas Gerais. A amostra foi de conveniência, composta por 43 pessoas que tiveram o diagnóstico de SCA, selecionadas após os critérios de seleção adotados no estudo. A coleta de dados foi realizada mediante entrevista dirigida, no domicílio, utilizando um questionário previamente construído, fundamentado na literatura estudada. Para a análise, os dados foram agrupados em categorias e analisados conforme tipo de estudo. O projeto de pesquisa foi submetido à plataforma Brasil, conforme Resolução CNS 466 de 12 de dezembro de 2012, apreciado e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do IFSULDEMINAS e pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Santa Casa de Misericórdia de Passos, conforme protocolos: 2.510.674 e 2.654.881, respectivamente. Os resultados mostraram predomínio do sexo masculino (51,2%), idade média de 57,3 anos, etnia branca (62,8%), aposentados (51,2%), casados (58,2%) e renda familiar média de 2,5 salários mínimos. Quanto às variáveis clínicas, as comorbidades mais citadas foram, hipertensão arterial sistêmica (69,8%), seguida por infarto agudo do miocárdio prévio (55,8% ) e angina (51,2%). Ainda, observa-se uma população que possui, em seu estilo de vida, hábitos que propiciam o desenvolvimento da SCA e suas diversas formas de manifestação clínica. Constatou-se, portanto, uma alta prevalência de fatores de risco tais como, sedentarismo, alimentação inadequada, entre outros, o que confirma a necessidade de elaboração de programas de educação com vistas na prevenção de novos episódios de doenças cardiovasculares. É fundamental o desenvolvimento de mecanismos para que os indivíduos assumam uma atitude responsável de autocuidado diante da sua doença, conhecendo e controlando os fatores de risco presentes no seu estilo de vida. Para isso, torna-se fundamental que os profissionais de saúde, em especial, a enfermagem, que age diretamente com o paciente, conheça o perfil da população que assite, para que, assim, possa elaborar programas de cuidado mais específicos, levando em consideração as peculariedades e limitações dessa população.

Palavras-chave


Síndrome Coronariana Aguda; Perfil de saúde; Enfermagem

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2359-1269v6n12019258

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Heloísa Turcatto Gimenes Faria, Paula Caroline Alves Evangelista, Karen Cristina Silva Barbosa, Marcela Baquião dos Santos

INDEXADORES:

 


Eixos Tech, Passos, MG, Brasil. e-ISSN: 2359-1269

Classificação Qualis: B4

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado por Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.