ESTRESSE OCUPACIONAL DOS ENFERMEIROS NA ÁREA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA: REVISÃO INTEGRATIVA

MATEUS GOULART ALVES, Heloisa Mara Corrêa, Jessica Freire, Juliandra Lorando, Luciene Aparecida da Silva, LUANA MATOS DE ARAUJO

Resumo


O estresse é atualmente chamado como o mal do século, e pela sua abrangência ocupa um lugar
de destaque nos meios de comunicação, configurando-se como um problema de saúde pública,
impactando de forma negativa na vida de diversos trabalhadores. Profissionais da área da
saúde, principalmente aqueles que atuam em urgência e emergência, encontram em sua rotina
diária, por vezes, uma falta de valorização profissional, que somada à sobrecarga de trabalho e
a ligação direta com situações de sofrimento podem se tornar fontes potenciais e permanentes
de desgaste, exigindo do profissional energia física e psíquica intensas, favorecendo assim o
estresse ocupacional. Trata-se de revisão integrativa que seguiu as seguintes etapas:
identificação do tema e seleção da questão de pesquisa; estabelecimento de critérios para
inclusão e exclusão de estudos; definição das informações a serem extraídas dos estudos
selecionados; avaliação dos estudos incluídos na revisão integrativa; interpretação dos
resultados e apresentação da síntese do conhecimento. A questão norteadora deste estudo foi:
Como o estresse afeta o enfermeiro que atua na urgência e emergência? A busca dos artigos
foi realizada no mês de abril de 2018, na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e
ScientificElectronic Library Online (SciELO). Foram incluídos na busca todas as categorias de
artigo (pesquisa original, revisão de literatura, relato de experiência, editorial); artigos
publicados entre 2012 a 2018, e disponíveis na língua portuguesa. Foram excluídos os
resultados encontrados repetidos nas bibliotecas, resumos de congressos, resenhas, e aqueles
que não atendessem aos critérios de inclusão mencionados. Chegou-se em um total de 28
artigos que, após análise individual, resultou na escolha de 10 artigos. Após essa pré-seleção,
todos os 10 artigos foram lidos na íntegra, o que permitiu, de acordo com os critérios préestabelecidos,
a escolha de 5 artigos para a utilização nesta pesquisa. A pesquisa realizada
permitiu conhecer de forma ampliada os elementos que mais desencadeiam o estresse no
trabalho do enfermeiro hospitalar. O enfermeiro deve buscar mecanismos que visem minimizar
as fontes geradoras de estresse, com a finalidade de melhorar a qualidade da assistência
prestada, bem como melhorar sua qualidade de vida. Conclui-se assim que, para que isto ocorra,
é imprescindível que o profissional conheça seus limites, planeje e desenvolva atividades e
reuniões coletivas no trabalho, diminua a jornada de trabalho quando possível. Vale ressaltar
que é de suma importância que o profissional seja capaz de reconhecer os estressores e seus
efeitos sobre o organismo, para que assim sejam adotadas medidas de enfrentamento a fim de
evitar distúrbios psicológicos e fisiológicos.


Palavras-chave


Enfermagem, estresse ocupacional, urgência, emergência.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2359-1269v5n12018133

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 MATEUS GOULART ALVES, Heloisa Mara Corrêa, Jessica Freire, Juliandra Lorando, Luciene Aparecida da Silva, LUANA MATOS DE ARAUJO

INDEXADORES:

 


Eixos Tech, Passos, MG, Brasil. e-ISSN: 2359-1269

Classificação Qualis: B4

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado por Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.