CARACTERIZAÇÃO DE PESSOAS COM DIAGNÓSTICO DE CÂNCER QUE PROCURAM UM ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA

Marilene Elvira de Faria Oliveira, Amanda Domingos Ferreira, Maria Inês Lemos Coelho Ribeiro, Heloisa Turcatto Gimenes Faria, Aline Teixeira Silva

Resumo


Embora o câncer seja uma condição crônica, alterações metabólicas, infecciosas, hematológicas, neurológicas, entre outras podem surgir, o que torna imprescindível que os serviços de emergência estejam preparados e aptos ao atendimento dessa demanda. Trata-se de um estudo exploratório, retrospectivo, que teve como objetivo caracterizar as pessoas com diagnóstico de câncer que procuraram atendimento de emergência, no ano de 2016. A coleta de dados foi realizada no serviço de urgência e emergência de um hospital filantrópico, no interior de Minas Gerais, no período de março a setembro de 2017, mediante consulta em prontuário médico dos sujeitos selecionados. Os dados foram analisados mediante estatística descritiva, conforme o tipo de variável estudada. Dos 73 sujeitos analisados, a idade variou de 7 a 92 anos, com média e desvio padrão de 62,1 (17,6) anos, predomínio do sexo masculino (74,0%), com ensino fundamental incompleto (64,0%) e procedentes de outros municípios (53,4%). Em relação às neoplasias, a maioria era tumores sólidos (89,0%), com estadiamento III (26,0%). Vale ressaltar que não foi encontrado relato do estadiamento do câncer em 14 (19,2%) fichas, o que pode gerar inconsistência nos dados apresentados. Ao analisar as principais queixas que levaram as pessoas com diagnóstico de câncer a procurarem pelo atendimento de emergência, houve destaque para as alterações do Trato Gastrointestinal (67,1%), seguidas por dor (49,3%) e mal-estar geral (42,5%). Assim, devido ao aumento na incidência mundial do câncer nos últimos anos, torna-se imprescindível as ações preventivas de controle da doença, as quais são consideradas, atualmente, um dos mais importantes desafios para a saúde pública. Ainda, faz-se necessário equipes de profissionais treinados e capacitados e serviços de saúde desenvolvidos, com infraestrutura adequada para atender esses pacientes. O estudo apresentou algumas lacunas pois muitos dados não puderam ser completados por falta de informações nos prontuários dos pacientes. É importante que novos estudos sejam realizados com intuito de preencher essas lacunas e que capacitações sejam feitas tanto no sentido de atender as urgências/emergências oncológicas quanto sobre a relevância do preenchimento das informações dos pacientes sejam esses oncológicos ou não pois, esses dados serão utilizados como fonte de pesquisas futuramente.


Palavras-chave


Enfermagem; Oncologia; Perfil de saúde; Serviços médicos de emergência.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2359-1269v6n12019239

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Marilene Elvira de Faria Oliveira, Amanda Domingos Ferreira, Maria Inês Lemos Coelho Ribeiro, Heloisa Turcatto Gimenes Faria, Aline Teixeira Silva

INDEXADORES:

 


Eixos Tech, Passos, MG, Brasil. e-ISSN: 2359-1269

Classificação Qualis: B4

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado por Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.